O par perfeito. Uma bela massa e um bom vinho.

 

Na Itália, país onde a "pasta" (como eles chamam) é tão popular, a bebida mais consumida não é por acaso o vinho. Esses dois elementos se complementam formando uma das harmonizações mais executadas do mundo. Porém, é preciso observar o molho que acompanha a massa para essa combinação.

Os italianos afirmam que não existe uma regra para esse tipo de harmonização. A experiência fica muito mais prazerosa se pratos com molhos à base de carne ou tomate forem acompanhados de tintos e os elaborados com queijos ou frutos do mar forem tomados com brancos.

O mais importante é que esses vinhos sejam leves, tenham boa acidez e não muito álcool.

Os molhos mais comuns para a “pasta” são os à base de tomate. Nesse caso, os vinhos para acompanhar pedem acidez pronunciada. Tintos como os da região de Chianti normalmente fazem bonito ou Shiraz. Mas como o prato é simples e versátil, também aceita outras opções, como tintos feitos com a uva Merlot ou ainda Rosés um pouco mais encorpados, tais quais os argentinos ou chilenos.

Amantes de uma boa “pasta” normalmente não dispensam um molho à bolonhesa. Feito à base de carne moída, fica perfeito com a “pasta” do tipo fettuccine, mas pode se tornar melhor ainda acompanhado de um tinto elaborado com a variedade Cabernet Sauvignon. Esses vinhos têm acidez presente e são encorpados o suficiente para fazer uma boa dupla.

BRANCOS - Para a ”pasta” com molho branco ou de queijos, pode ser da uva Chardonnay, mas tintos delicados como Pinot Noir também são bem aceitos.

Embora menos consumidas no Brasil, a “pasta” com frutos do mar e peixes também seguem a mesma regra de harmonização dos outros pratos feitos com esses ingredientes: vinhos brancos e Rosés para acompanhar.

Um prato simples como a “pasta” al pesto, que tem manjericão e queijo parmesão como ingredientes principais, vai muito bem com os brancos feitos com a uva Sauvignon Blanc.

LA PICCOLA GUIDA DELA VILLA GOURMET:

A dica para tornar a sua harmonização mais agradável:

TOMATE – Tintos leves e com boa acidez (Chianti, Merlot) e Rosés em geral.
CARNE – Tintos um pouco mais encorpados (Cabernet Sauvignon).
QUEIJO – Brancos mais encorpados (Chardonnay) ou tintos delicados (Pinot Noir).
FRUTOS DO MAR – Brancos e Rosés em geral.
AL PESTO – Brancos leves e frescos (Sauvignon Blanc)